quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Miasma Destino e Vida

Miasma, Destino e Vida!




Por: ThulAlger




Apresentação
Quais são os verdadeiros fatores que determinam o destino de alguém, e quais os motivos para que esta ou aquele alegado desastre, ou para este ou aquele alegado presente, ter ocorrido?
Este pequeno texto visa responder a estas perguntas, escavando nas raízes da geração do miasmas que domina todo o planeta.





Índice:

Capa e Apresentação


Origem do Miasma Planetário


O problema em si


Atitudes


Conclusão


Bibliografia


Bibliografia Digital


Origem do Miasma Planetário
Na tradição Romana, os sacerdotes e sacerdotisas lidavam com dois conceitos que em geral, dominavam e centralizavam o culto aos deuses e deusas romanos.

Estes dois conceitos são o “...Numens...” e o “...Miasma...”.

Numens é a essência, a presença, a força em si mesma que algo, alguma coisa ou alguém, sobretudo que um deus ou deusa, podem transferir para pessoas, coisas, objetos e lugares.

Miasma é a presença maligna de elementos que contém a morte ou a nocividade em si mesmos, como é o caso de dejetos, locais onde se encontram cadáveres, locais onde se praticam crimes constantemente, locais onde ocorrem estupros, locais onde as pessoas vão para se embebedar ou se drogar em massa, locais onde são discutidos atos que vão causar a morte em larga escala, ou o sofrimento em larga escala, de pessoas, animais, plantas, lugares, plantas ou florestas inteiras.

Dentro destas duas concepções notamos então que há um entendimento de que os atos e o comportamento repetitivo de algo, alguém ou alguma coisa, acarretará um tipo específico de destino, pior ou melhor, ligado a si.

Porém há muito mais do que isso, quando observamos certos dados históricos modernos, clássicos e antigos, que em si mesmos sob a luz dos dois termos acima, acabam por nos dar respostas extremamente importantes, para centenas de questões a respeito do planeta, da vida nele e do desenlace que vem se repetindo na Terra.

Notemos todos que um evento que serviu de base para uma avalanche histórica, acabou por conter ambos os aspectos acima retratados, com a primazia do segundo.

Trata-se do nascimento dos movimentos gnósticos, os quais tendo sido gerados pelos essênios que surgiram do movimento ortodoxo judaico chasidim  -hassidim – tiveram o saber cuja faceta mostrada seria helênica, modificada pelos preconceitos e limites mentais imensos presentes no judaísmo, como pode ser observado na torah e no talmud.
Hassidim eram inimigos do conhecimento helênico que estava sendo introduzido, no pós derrota da judeia por Alexandre o Grande, e dos mesmos foi gerado o antagonismo que produziu a revolta dos macabeus, que gerou em decorrência duas seitas filhas dos hassidim, os essênios – que persistiram sendo helenistas porém com forte influência dos costumes da torah – e os fariseus – herdeiros dos hassidim em seu ódio a tudo que não está presente na torah e talmud, como correto.

Os essênios geraram todos os termos, códigos e textos que foram usados como base para gerar a fraude histórica chamada jesus cristo, uma vez que o krestos dos essênios e os christian eram duas coisas totalmente distintas, como a história o demonstra.

Por ser um movimento que se usa da ralé em todos os sentidos para crescer, os christian primeiro levaram os servos a matarem seus senhores e em seguida arrebanharam seguidores, para então entrar em guerra contra o politeísmo romano, e no decorrer do tempo, contra todas as formas de politeísmo, como  pudemos observar em tudo que tange aos abusos monoteístas da inquisição protestante e católica, em vários países do mundo, e em tudo que tange no filho deformado do judaísmo mesclado ao cristianismo, ou seja, o islã.

Neste ponto poderemos então retratar certos fatos que tem passado despercebidos, embora sejam constantemente vistos, por muitas pessoas em toda parte.

Para crescer estes grupos usaram-se de todos os artifícios a sua disposição: tortura, mentira, destruição de templos, apropriação de templos, lugares e objetos sagrados – haja vista que os objetos que estão na Kaaba de Meca, eram todos eles objetos sagrados das Três Principais Deusas do Politeísmo Watanista pré-islâmico – e em seu caminho, a demagogia e adulteração são sempre uma constante.

Podemos observar, por exemplo, em área próxima a antiga região onde ocorreu o impétio dos Hititas, o islã popularizou os nomes dos 5 filhos de Iblis – Shaitan o grande inimigo segundo o alcorão – citando como o principal dos mesmos Bird ou Tir – notem que os Hititas sendo um povo de origem ária, estava com sua religião em total sincronia com os cultos Eslavos, Nórdicos e Celtas, e com a marca deixada pelos Gutianosem sua passagem pela Sumériae cercanias dos povos que tomaram contato com os egípcios – sendo que o termo Tiwaz (Tiwhaz) – tal e qual os termos Devas/hindu, Tir/Ziu/Tiwaz/Germânico e Tievas/Eslavo–foi execrado publicamente “...Tir/Bird...”, era um deus de sabedoria naquela região.

Com o tempo, veio o iluminismo e alguns valores ligados ao paganismo foram resgatados, e com base nisto a humanidade se ergueu do lodaçal no qual se encontrava por mil anos de atraso e estagnação – porém a aquisição dessas virtudes que vieram para espelhar Hipátia de Alexandria ou Platão, somente o puderam fazer em parte.

As Grandes Corporações então nasceram, e começaram a crescer com o mercantilismo, seguido das grandes empresas e posteriormente pelas Megacorporações, em tempos mais recentes.

O problema em si
Agora, aquilo para o qual ninguém realmente tem estado atento, é a própria nomenclatura e a própria existência em si, tanto destas corporações, quanto das religiões nas quais as mesmas se espelharam para ganharem o mundo.

Uma empresa existe fisicamente para gerar lucros para aqueles que a comandam ou que a possuem, ela tem locais onde ocorre a produção, marketing, cobrança, administração, tesouraria, manutenção, e em verdade funcionam como uma forma de organismo vivo, e em realidade os termos para as empresas em geral é “...Organização ou Órgão (Público ou Particular)Com /ou/ Sem Fins Lucrativos...” ou mais precisamente “...Entidades Com /ou/ Sem Fins Lucrativos...”.

Os países que se autodenominaram socialistas ou comunistas, simplesmente praticaram por anos o que se chama de “...Capitalismo de Estado...”, e embora seu discurso seja correto, ele em verdade sempre esbarra na regra que dita que “...os oprimidos de hoje serão os opressores de amanhã...” – como Bakunin sabiamente expressou.

Tanto os autodenominados capitalistas quanto os autodenominados socialistas/comunistas, dependem de uma IMENSA RESERVA DE CONSUMIDORES, para sustentar o dito assistencialismo, com nascimentos em larga escala para sustentar a geração passada em números e arrecadação, na mesma vazão em que o capitalismo necessita de consumidores em constante crescimento para que os lucros permaneçam crescendo, pois os juros das regras de mercado, que existem para sustentar as próprias regras de mercado, assim definem a necessidade de força de trabalho consumidora de baixo custo – e na mesma proporção do comunismo e socialismo, de baixa capacidade intelectual.

Assim a natureza em si mesma, deve ser cada vez mais explorada com o intuito de gerar objetos e produtos e em última instância o “...capital...”, em si mesmo, não importando se ela pode ou não prover uma Superpopulação em constante crescimento.

Tanto as empresas e países regidos pelo capitalismo quanto os regidos pelo comunismo/socialismo, primam pela atividade predatória atuando como de certa forma como “...tubarões...”– como eles próprios gostam de citar a si mesmos – sendo que o que não mais produz é ineficiente para gerar lucro e deve ser afastado, capitalismo, e o que não mais pode produzir deve receber assistencialismo e gerar a presença de outros dois para produzir em seu nome, pelo mesmo salário recebido pelo funcionário que foi afastado – socialismo/comunismo em fatos – pois a empresa/país deve sobreviver ao ataque de outras empresas países.

Cada dia, em todas as semanas, cada semana – em todos os meses – cada mês em todos os anos, cada pessoa dali sendo exposta a violência da exploração e a demagogia do discurso de capitalistas e socialistas, ao mesmo tempo em que os que estão em nível superior na hierarquia da empresa, persistem em atiçar cada vez mais estas palavras de ordem, por todos os meios, pois tanto os capitalistas quanto os sócio/comunistas querem em última instância o poder que advém do dinheiro e o dinheiro que advém do poder, e se algum dos que estão na hierarquia inferior quiser subir de hierarquia, deverá trair, explorar ou incentivar traição e roubo, sobre os demais, para poder usufruir da relação “...dinheiro/poder...”, ou da relação direta que ocorre no socialismo, para gerir empresas e “...ÓRGÃOS PÚBLICOS...” via indicação  política e apadrinhamento, a exemplo de todos os erros de Robespierre, durante e após a revolução francesa.

De fato, todos os que estão envolvidos nisto, que todos os dias se expõe a isso, geram um pulso carregado de pensamento e emoções, que permeia a tudo e todos a sua volta, e que está preenchido das vicissitudes dos modelos acima referidos ligados ao círculo vicioso poder/dinheiro/apadrinhamento.

Estes pensamentos a exemplo do que originalmente ocorreu através do nascimento do monoteísmo, acabam por gerar coisas que já foram chamadas pelos praticantes de cabalismo hermético e hermetistas, de “...egregoras...” – formas de pensamento ligadas a um determinado local ou pessoas, que resumem os objetivos ou principais ideais das mesmas, formando uma verdadeira onda psíquica ligada aos anseios coletivos do local ou das pessoas dali.

Essas “...coisas...”, que já foram chamadas de egregoras, anseiam por se expandir pois em cada pessoas que se fixam, podem subsistir mais e mais e contaminar a outros, sendo que em verdade as mesmas são “...ondas de miasma...”, gerados pelo continuo da exposição as vicissitudes acima elencadas.

Tal e qual vermes em uma maçã,eles passam a se expandir e buscam corroer tudo e todos a sua volta, sem ter a menor possibilidade de para com o processo em si, pois essas “...ondas de miasma...” são desprovidas de mente e são prenhes de fome e reação impulsiva sendo que reagem a coisas que ameaçam sua voragem, na mesma proporção que as encontram, instigando os literalmente “...zumbis...” que estão inseridos no processo de assimilação pelas mesmas, a agressão física, militância ou atividade de censura, na mesma vazão em que um viciado defende o seu vício, ou melhor dizendo, na “...mesma vazão em que algo defende o processo que mantém um determinado lugar nos níveis que são necessário para que ele mesmo ou sua prole possam se desenvolver ali...”!

O processo de “...massificação cultural...” levando cada vez mais pessoas a serem englobadas nesta onda de miasma, quando percebido e observado, traz em si mesmo, respostas muito importantes às pessoas que – sendo despertas – tendem a procura-las.

Este processo ligado a massificação é unanimemente defendido como o “...objetivo final de cada fiel monoteísta...”, e isso em todos os ditos livros sagrados do monoteísmo:

Alcorão:
"...Eu criei o Universo para a humanidade e criei a humanidade para mim mesmo - Hadithqudsi..."
"...Eu testemunho que não há outra divindade além de Allah, e testemunho que
Mohammed é seu servo e seu mensageiro",essa pessoa torna-se um muçulmano.
Pois ele declarou sua submissão à existência e unidade de Deus e ao seu Último
Mensageiro..."

Talmud:
"A recompensa da mitsvá é a [própria] mitsvá." Ou seja, nada  pode  recompensar  a  mitsvá  mais  do  que  seu  próprio  cumprimento.  A Chassidut explica que a palavra mitsvá vem do radical "tsavtá", que significa união. Isto quer dizer que a maior recompensa da mitsvá é a união com D'us, proveniente dela.

Bíblia:
"... Pai santo, guarda, em Teu Nome, aqueles que me deste, para que SEJAM UM, assim como NÓS.- João 17:10 e 11...".

Este processo gerado no nascimento do monoteísmo foi motivo de considerações pelos gnósticos, até certo limite, pois os mesmos citaram em seus textos que “...Saclas criou o universo físico e aprisionou a humanidade em um jardim de delícias...”, embora tenham sido o instrumento para a perseguição contra o politeísmo, pois associaram os Saclas e seus 6 Arcontes com os dias da semana, os quais já eram reverenciados como vinculados aos deuses em várias tradições, que precederam os gnósticos, e associaram os deuses dos povos politeístas com os arcontes, dando origem a muito do impulso de ódio contra o politeísmo, com seus atos em total comunhão com o ódio hassidim – embora os essênios fossem chamados de helenistas, pelos hassidim, ainda sim seguiam muitos dos preceitos da torah.

Como foi acima citado, a criação e administração das empresas que apareceram no final da idade média – preenchidas dos vícios do monoteísmo, tanto os de comportamento quanto os de teoria – foi feita em todos os sentidos, para espelhar a “...onda de miasma...” das religiões monoteístas, e estas empresas – não importando sua origem ou posicionamento político religioso – passaram a ser, para todos os propósitos, extensões do miasma em si mesmo.

O que nos leva, somando-se a geração do monoteísmo e suas derivações, as condições sócio econômicas, experimentadas por todos atualmente, e acima disto a relação destino e vida, como a mesma se apresenta.

Pois esta “...onda de miasma...”, opondo-se em todos os sentidos a tudo que impede sua alimentação, gera um pulso inconsciente e uma atitude vigilante em seus “...zumbis...”, ao mesmo tempo em que fustiga todos os mundos sutis em torno de Midgard, com um padrão de comportamento e atitude, “...visando manter a si mesma como seu único intento...”.

Assim sendo, a vida de qualquer um que não se deixe dissolver no miasma e nos processos que o vem a gerar, é sempre ruim ou cheia de adversidades, ou simplesmente vista como “...azarada...”, tendendo a levar a pessoa em questão ao suicídio, a morte direta por agressão ou por via de doenças ou envenenamento, assim como busca – principalmente – “...ASSIMILAR...” completamente os que não fazem parte da “...massificação...”, pois “...tanto necessita saciar sua insaciável fome, como sente que algo intocado e que resiste tanto vem a ser um banquete em si mesmo...”!

Isso explica a cada politeísta vivo neste mundo -e a cada ocultista consciente - que com toda certeza se pergunta como as coisas ocorreram da forma como ocorreram, como decisões políticas e administrativas resultam cada vez mais em leis que protegem assassinos, criminosos, estupradores e depravados, como florestas inteiras, rios e mares estão sendo destruídos pela ganância, sem que alguém se importe com o fato de que vai viver para lamentar a ausência da natureza em pouquíssimos anos, e principalmente “...porque as piores coisas ocorrem com as melhores pessoas...”.

O mesmo se dando com a extinção de animais em todo mundo – como é o caso dos elefantes e rinocerontes, quase extintos para que sejam retirados dos mesmos o marfim, ou os Gorilas que foram quase completamente erradicados pelos africanos, entre tantos outros exemplos como a extinção das florestas da Etiópia, para fornecer lenha e madeira para sua população miserável em constante crescimento, cuja própria existência é a fonte de sua própria miséria.

Isso acima de tudo explica a triste situação da Europa nos dias atuais, infestada, invadida e açoitada pelo que há de pior em todo mundo, com apoio e atuação vigilante de políticos e empresários, em meio a um povo tolo que em certa proposição, aceita e muitas vezes vê isso com bons olhos.


Atitudes

Diante do que foi acima exposto, está claro que algo deve ser feito por parte dos que estão claramente conscientes ou parcialmente despertos, pois é óbvio que algo está extremamente errado, e a muito tempo, em toda Terra.

Se observarmos os massacres efetuados contra os povos nativos europeus, procurando assimilá-los ao monoteísmo por quaisquer meios disponíveis ( da corrupção ao uso da espada), visando a completa erradicação senão dos povos pelo menos das religiões heathen existentes na Europa, veremos que a ganância, ignorância e ódio presente no coração dos invasores e dos assimilados, está enraizada em algo ilógico, compulsivo, desprovido de pensamento inteligente (pois a inteligência e a ciência já provaram nos tempos modernos, que cristo, abraão, moisés e allah são claramente invenções, e as leis religiosas que brotam dos mesmos, é uma maquinação para dominação de massas).

Até hoje é possível ver os olhos brilhando de ódio puro, em islâmicos, cristãos, evangélicos de todos os tipos, católicos e judeus, contra qualquer um que esteja livre da opressão de seus ditos livros sagrados, que os questione ou que em dado momento, pela necessidade, seja obrigado a demonstrar que são falhos ou mentirosos.

O proselitismo doentio que está presente no monoteísmo, é uma das maiores provas da atuação dessa massa corrompida acima retratada como “...onda de miasma...”, pois nos dias de hoje (ao redor de 2013 da vulgar era cristã), as empresas estão contratando pessoas “...segundo sua orientação religiosa, em sendo evangélica...”, na região sudeste do Brasil – por exemplo – sem mencionar os massacres religiosos que ocorrem todos os dias, em várias partes do planeta, perfazendo os sacrifícios em honra a “...Saclas/Allah/Jesus/Iaveh/Jeovah...”, cuja fome jamais é saciada.

Cada pessoa que seja livre pensador, atenta e em curso de despertar, todos os dias está sujeita a ataques de todos os tipos, a humilhação ou a situação humilhante de ter que fingir para poder sobreviver, em meio ao “...Grande Rebanho Massificado de Zumbis...”.

Assim sendo, faz-se necessário por parte de todos os que não foram assimilados, e que podem atuar, agir contra esta “...onda de miasma...”, e procurar contê-la, bloqueá-la ou erradica-la – principalmente e quando possível – para que as próprias pessoas que não foram assimiladas, possam viver sem a pressão tanto física, quanto do “...acaso...”, atuando para prejudicar suas vidas, de seus filhos, parentes ou amigos.

Essa “...onda de miasma...”, catalisa energia ruim e nociva que prejudica as coisas, atuando de forma violenta contra tudo que ameaça a mesma, gerando “...coincidências, azar, perseguição e repetição de coisas ruins ou de eventos repugnantes...” contra cada heathen, pagão, ocultista consciente ou pessoa em curso de despertar, que exista, existiu ou venha a existir neste planeta, causando desta forma a deformação do Wyrdde cada um, atuando ativamente contra cada pessoa que não tenha se massificado.

Seu objetivo é que os humanos se imolem em vida, imolando suas emoções, mente e vidas, para serem “...Unos...”, com o “...Miasma em si mesmo...”, e “...em morte terem seus corpos sutis preenchidos ao ponto de que não exista nada além de jesus/yaveh/jeovah/allah nas cascas vazias de suas almas e espíritos...”, de tal forma que nada resta, ou seja, nada mais possa reencarnar porque não sobrou nada para reencarnar.

E em verdade por não ser algo que realmente tenha uma mente pensante, em momento algum considera que com o final de todos, nem mesmo a  “...Onda de Miasma...” restará, pois “...não pode considerar...”, o ato do pensamento, a reflexão em si, chamada pelos gregos de filosofia, quando pura, é uma porta – ainda que incompleta - que leva a livrar-se do miasma.

Cada heathen, pagão ou ocultista consciente, deve lançar mão então dos contatos que tem, dos métodos que lhe são próprios, dos meios que estão a seu alcance, para gerar um ambiente livre da massificação, onde literalmente esta onda de massificação não possa entrar, e isso deve ser feito como um ato diário de sua vida, o qual deve ser passado para seus descendentes, e quando possível, para amigos e parentes.

Mas isso em si não é o suficiente!

Cada pessoa consciente em sendo heathen, ocultista consciente ou pagão, deve lançar mãos desses mesmos meios, para combater essa massa de miasma, no intuito de erradica-la ou de diminuir grandemente sua força e sua massa em si mesma, pois de outra forma os “...eventos nefastos...” desencadeados pela massa de miasma, jamais cessarão nas vidas das pessoas com potencial de despertar, ou nas vidas das pessoas que já combatem a “...Onda de Miasma...”.

Mesmo que os efeitos pareçam ser pequenos, serão maiores que nada fazer!

Mesmo que seja divulgado que o rebanho de massificados persiste em crescer, e sua potência pareça ser maior, serão sempre menores do que poderiam ser, em presença da inércia dos não assimilados.

Mesmo que traiçoeiramente sejam divulgadas supostas vitórias da Onda de Miasma, ou supostas derrotas dos não assimilados, os que realmente estão despertos devem aprender a enxergar nas entrelinhas, para testemunhar tanto o medo como a falha da “...Massa de Assimilados pela Onda de Miasma...”.

A tradição de cada povo politeísta antigo, contém os ensinamentos que tanto no particular como no coletivo, podem ser usados como uma resposta tão ou mais violenta, no mundo sutil do que a massa de miasma vem fazendo contra cada pessoa honrada, justa e portadora de verdadeiras liberdade e vontade, neste mundo.





Conclusão

Cada pessoa que não faça parte da “...onda de miasmamassificante...”, acima citada deve se proteger e deve procurar outros que como ela mesma venham a ser, para que sua sobrevivência possa ser atingida.

O processo de digestão do planeta não vai parar até o mesmo se tornar uma esfera morta boiando no espaço sideral, e o próprio wyrd/krwi/destino tem sido deformado pela pressão exercida pela “...onda de miasma...”, de tal forma que todas as coisas especificamente ligadas aos heathens, ocultistas conscientes e pagãos, tem sido cada vez mais difíceis.

É possível fazer pressão contra o mesmo, no intuito de sobreviver, porém no momento em que o miasma em si mesmo, passar a encontrar pouca comida, passará mais fortemente a procurar pelo que ainda não assimilou. Isso significa que no final de sua existência doentia, ele se tornará mais perigoso.

Cabe aos heathens, pagãos e ocultistas conscientes, lançar mão de meios que aludam ao que foi acima mencionado como “...numens...”, tanto como uma forma de se protegerem, como como uma forma de combaterem à esse processo no sentido de garantir a sobrevivência da natureza em si mesma, para que exista possibilidade de vida para gerações futuras “...não assimiladas...”!



Bigliografia

Versos Satânicos, Salman Rushdie;
Our Troth: Living the Troth KveldulfGundarsson
Moisés e Abraão jamais existiram: Neils Peter Lemche;
The British Museum Book of the Rosetta Stone, C. ANDREWS;
Havamal em português, Clã Falkar;
An Introduction to the Germanic Tradition, EdredThorsson;
Tanakh, a bíblia judaica;
Talmud, lei judaica;
Cabala Mística, Dion Fortune;
Alcorão;
Bíblia,
DignitatisHumanae – I.C.A.R.
Da República - Cícero
Crítica da Filosofia do Direito de Hegel- Karl Marx
O Anti Cristo – Nietzche
Assim falou Zaratustra – Nietzsche
Edda em Prosa - SnorriSturluson;
EddaPoétic - SnorriSturluson;
Hävamäl;
Dicionário Aurélio do Português;
Sagas Islandesas: A Saga dos Volsungos, Theo de Borba Moosburger;
Galdrabok, EdredThorson;
O Talmud Desmascarado - Reverendo I. B. Pranaitis
Os Sete Sermões aos Mortos – Carl Gustav Jung
Sobre el paganismo - Alain de Benoist
Brasil Colônia de Banqueiros – Gustavo Barroso

Bibliografia Digital:
Odinismo
http://visigothbr.blogspot.com.br/2011/01/as-nobres-nove-virtudes-coragem.html
Asatru
http://www.angelfire.com/wy/wyrd/
Sociedade Nórdica
http://www.musiclanguages.com/2011/10/sugestoes-de-leitura-verdades-e.html
Celtismo, mulheres e a sociedade celta
http://www.historiadomundo.com.br/celta/sociedade-celta.htm
http://eduardoamarantesantos.blogspot.com.br/2012/08/o-papel-da-mulher-entre-os-celtas-e-na.html
demonologia islâmica
http://www.fcsh.unl.pt/media/reportagens/o-celtismo-e-as-suas-repercussoes-na-musica-na-galiza-e-no-norte-de-portugal_3
Mabinogion
http://www.sacred-texts.com/neu/celt/mab/index.htm
Druidismo
http://www.druidismo.com.br/Index/Home.html
Romuva
http://www.romuva.lt/en.html
Kupala Festival – Rodnover
http://rnv.rodnovery.com/
http://rodnovery.tumblr.com/
http://www.youtube.com/watch?v=oimyM8XVmmo
Religio Romana
http://www.novaroma.org/religio_romana/
Dicionário de Latim
http://www.dicionariodelatim.com.br/
Kemetismo
http://www.youtube.com/user/kemetismo
Helenismo Traidional
http://www.ysee.gr/html/por/index.html
Computador grego de 2000 anos
http://www.ceticismoaberto.com/fortianismo/2110/um-antigo-computador-grego
Construcionismo
http://www.consultoriodepsicologia.com.br/construcionista-social.html
Construtivismo
http://ppglm.files.wordpress.com/2008/12/dissertacao-ppglm-gustavo-arja-castanon.pdf
Tradição Suméria
http://www.angelfire.com/me/babiloniabrasil/index.html
Reverendo Moon
http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/reverendo-moon-lider-messianico-e-magnata-empresarial-2?page=2
http://mankindgreatshift.blogspot.com.br/p/rev-moon-foi-chamado-por-jesus-cristo.html

Harappa
http://a.harappa.com/content/technological-choices-and-lithic-production-indus-period-case-studies-sindh-pakistan
MohenjoDaro
http://www.mohenjodaro.net/index.html
BactraMargiana
http://blacksandsfilm.wordpress.com/bactria-margiana/
Bulling Religioso
http://www.dgabc.com.br/News/5949234/professora-evangelica-prega-em-aula-e-aluno-sofre-bullying-na-escola.aspx
Islã ensina a bater em mulher
http://www.youtube.com/watch?v=xuKqgvUCtGw
A vida das mulheres na antiga sociedade persa
http://www.parstimes.com/women/women_ancient_persia.html
Mulheres em Esparta
http://amarice.wordpress.com/2009/02/09/espartanas/
http://www.womenintheancientworld.com/women%20in%20sparta.htm
http://www.vdare.com/articles/pondering-patterson-iii-ok-how-white-are-hispanics
Ehlers, Jürgen; Gibbard, Philip L. (2004). Quaternary Glaciations: Extent and Chronology. 3. South America, Asia, Africa, Australia, Antarctica.
http://www.coladaweb.com/geografia/racas-humanas
http://simbiotica.org/evolucaohomem.htm
http://drauziovarella.com.br/drauzio/vitamina-d-na-prevencao-de-doencas-cronicas/
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s0034-70942003000300013
http://www.corpoperfeito.com.br/artigo/visualizacaoartigo.aspx?idartigo=136
http://wikieval.wikispaces.com/espadas
http://www.espacovolpi.com.br/nutrologia-saude/abuso-vitaminas-efeitos-colaterais.php
http://www.rc.unesp.br/ib/ceis/mundoleveduras/2010/o%20intestino%20dos%20japoneses.pdf
http://www.endocrino.org.br/sbem-na-midia/
http://departamentos.cardiol.br/dha/consenso3/capitulo6.asp
http://www.febrasgo.org.br/arquivos/revista%20femina/FEMINA%2034-09/Femina_34-9-15.pdf
https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/6537
http://www.midiaindependente.org/pt/red/2004/12/296291.shtml
http://veja.abril.com.br/livros_mais_vendidos/trechos/guia-politicamente-incorreto-da-historia-do-brasil.shtml
http://www.espacoacademico.com.br/036/36ebueno.htm


Nenhum comentário:

Postar um comentário