quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Carta aos Conservadores




Carta aos Conservadores

Como todos os interessados podem vir a saber, o conservadorismo é uma corrente de pensamento político surgida na Inglaterra, no final do século XVIII, engendrada  pelo político Edmund Burke, que afirma  posições políticas e filosóficas, alinhadas com o tradicionalismo e a transformação gradual, que se opõe a mudanças violentas tanto de características  econômicas quanto político e institucionais, assim como no sistema de crenças vinculado a sociedade em gera como é o caso dos usos e costumes de uma sociedade.

Em geral os Conservadores se alinham com a teoria do direito a posse, da delimitação nacional e da manutenção de costumes ligados a tradição, tudo isso alicerçado sobre o conceito tradicional de família.

Desta forma  sob muitos aspectos, várias teorias e afirmações foram tecidas no decorrer do tempo, tanto contra o mesmo como a favor deste, e em geral são linhas de característica de esquerda que vem a se opor ao conservadorismo - como é o caso por exemplo tanto do comunismo quanto do anarquismo.


Nestes tempos em que a informação – valiosa como ela é – fluí em todas as direções, faz-se necessário que determinados dados sejam esclarecidos, para que então uma nova diretriz possa ser tomada, a qual venha a prover dos meios e modos necessários, para causar tanto uma definição de caminhos para o presente e futuro, quanto um esclarecimento em geral  do que se opõe ao conservadorismo e do que fomenta o mesmo.

Conservadores em geral são ligados a costumes ou protestantes ou católicos, e se baseiam em alicerces bíblicos para nortear seus pontos de vista.

Estes alicerces, quando não orientados por aquisição de cultura, podem vir a causar rusgas indesejáveis e inúteis, por inobservância do contexto real ao qual todos os denominadores de uma dada questão, podem vir a apontar.

Desta forma, vemos no mundo atual uma soma muito grande de pessoas ligadas a modelos conservadores, lutando via internet, via manifestações, via ações políticas, via instruções sociais e escolares, contra o desmoronar da estrutura básica na qual o conservadorismo está baseado, ou seja, a família e sua estrutura tradicional e equilibrada.

Isto por si só,  nestes tempos sórdidos em que “...cultura...” foi rebaixada a um sinônimo de “...costume...”,  em que pessoas torpes e movidas por terceiras intenções vem a afirmar coisas ainda mais torpes como “...funk é cultura...” , ou como a famigerada “... Coluna Lenin...”, chegou a afirmar categoricamente em documento de autoria dos mesmos, em PDF, via internet a quem quisesse ler o mesmo, que nos dias de hoje “...o incesto é algo que deve ser aceito como natural, e que as depravações humanas afirmam que a estrutura familiar do passado deve ser esquecida...”, e bem como onde encontramos panfletagem afirmando as tolices divulgadas por Molcon-X (notório líder racista islâmico norte americano):


“...O honorável Elijah Muhammad diz que todo o tempo que isso acontecia não havia homem branco. O homem branco não estava na cena. Ele diz que quando a lua estava explodindo e chegamos junto com a Terra, uma tribo foi, de facto destruída. Antes do tempo em que ocorreu a explosão havia treze tribos. Na explosão partiu 66000000000000 anos atrás, a décima terceira tribo foi destruída e, em seguida o tempo todo para baixo através da roda do tempo, desde então, havia doze tribos, até seis mil anos atrás. E seis mil anos atrás, um cientista chamado Yacub criado outra tribo na Terra__Compreender, antes da hora, a explosão ocorreu, havia treze tribos, mas a décima terceira tribo foi destruída na explosão e que, em seguida, seis mil anos atrás uma outra tribo entrou em cena. Foi feito diferente de todas as doze tribos que estavam aqui quando chegou. Uma nova tribo, uma tribo fraca, uma tribo de ímpios, uma tribo diabólica, uma tribo diabólica, uma tribo que é diabólico por natureza....”



Combinado aos temores pela queda da estrutura familiar, uma vez que movimentos que procuram incessantemente causar paulatinamente a descriminalização da pedofilia, como é o caso do que vem a ser retratado no artigo de Luiz Mott:


“Meu Moleque Ideal   -  Pedofilia & Pederastia - O sexo entre Adultos & Jovens : Descobri que os pedófilos identificam a si mesmos como "homens que amam meninos " e que eles denominam de 'pânico moral' ou de 'histeria da opinião pública' à repulsa que pessoas normais experimentam diante da prática por eles defendida.”

Vem a causar uma verdadeira e totalmente compreensível repulsa, por tudo que possa de alguma forma ser entendido como supostamente contrário, à natureza dos princípios ligados aos alicerces do Conservadorismo

Desta forma muitos movimentos ligados a mídia tem pelos conservadores, sido vistos como nefastos e nocivos, e em alguns casos os mesmos tem razão em suas suspeitas, em outros casos já não há realmente pontos de vínculos com suas afirmações.

Nestes tempos tem ocorrido duas coisas paralelas que tem sido vistas como as mesmas coisas, embora sejam completamente diferentes, principalmente no que tange a pontos em comum com princípios afirmados pelo conservadorismo.

Ambas são atacadas por afirmações presentes na bíblia, corão, talmud e torah, por exemplo no Deuteronômio 18:9-13, Isaia 8:11-20, Galati 5:19-21, e desta forma afirma-se sobre os mesmos que praticam necromancia (invocação de espíritos dos mortos), e que são envolvidos com práticas de depravação de todos os tipos.

Quanto a necromancia e práticas em geral ligadas a depravação, podemos dizer simplesmente que realmente, sob desculpa de encontrarem algo que desculpe hábitos indesculpáveis, porém movidos por bloqueios psicológicos ligados a complexo de culpa, muitos depravados tem abraçado formas maleáveis ligadas a tipos de ditas formas de  “...Wicca...”- em teoria bruxaria – para expressarem suas formas de ser!

Contudo, isso em momento algum é uma regra, pois da mesma forma que Saul consultou a bruxa de En-dor, por pura necessidade e que os Três Reis Magos – os quais eram uma classe de Sacerdotes Persas, ou seja os Magói, e os sacerdotes de outras religiões simplesmente eram os que foram chamados de Bruxos e Bruxas na bíblia, corão, talmud e torah – são uma peça fundamental na apresentação do catolicismo e cristianismo, os sacerdotes de outras religiões, ou seja, os chamados bruxos, não se enquadram na teoria de aceitar quaisquer formas de práticas ligadas a pedofilia, restrição familiar ou transgressão de gênero, como podem vir pessoas menos esclarecidas a quererem afirmar.



Em geral pessoas que tendem a formas ligadas a reconstrucionismo politeístas, dos mais variados tipos, se reúnem em clãs e orientam seus costumes de forma a ter o respeito à família e a um forte código ético e moral, como o ponto principal de existência de suas vidas e de dar sequência a suas formas religiosas, um claro exemplo disso é o Código das Nobres Nove Virtudes  –  Coragem, Verdade, Honra, Disciplina, Força, Vontade, Auto-confiança, Lealdade e Hospitalidade  -  usado no Odinismo e Asatru, que norteia a vida de todos que praticam estas formas de religião, ou uma sequência de virtudes que orienta a prática de Druidismo – como é o caso do druidismo monoteísta ligado a Morgan Mognwed e ao Druidismo Ortodoxo ligado a British Druid Order – ou mesmo ao Celtismo, Romuva, Rodnover, a Nova Roma, Hellenes Ethnikoi.



Pessoas ligadas a movimentos do tipo acima não comungam com práticas ligadas as transgressões  infantis, criminais, de gênero ou quaisquer outras deste tipo e tem como seus pontos de vista orientadores a nível político o total e irrestrito respeito ao direito de posse de cada um – embora seja verdade que o mesmo respeito a posse também vem com um sentimento de responsabilidade, e uma necessidade de atitude em relação ao ecossistema em torno de todos nós.

Desta forma mesmo que a aparência dos cultos religiosos pagãos propriamente ditos possa vir a causar horror a pessoas de características católicas, por exemplo, os mesmos não deveriam realmente temer ou entrar em embate com aqueles que tem exatamente os mesmos inimigos em comum, e que celebram suas festas religiosas exatamente nas mesmas datas que os católicos romanos, ortodoxos e por vezes mesmos protestantes.

Observemos que o dia 25 de Dezembro, é uma data importante para a prática religiosa zoroastrista de onde provém os Magói ( Três Reis Magos) acima citados, e que a páscoa somente pode ser celebrada após o equinócio de primavera do hemisfério norte do planeta, justamente o dia 22 de Março, e isso somente após a primeira lua cheia que suceder esta festa chamada na Europa de Ostara, sendo que isso somente no Domingo, pois a Ostara é a festa do renascimento da vida, o que para os católicos equivale ao mesmo princípio para a páscoa, e o domingo implica no renascimento da fonte da vida e da luz, o Sol Invictus, celebrado no dia 25 de Dezembro, como acima foi citado. E isso lembrando sempre que a data celebrada por Lutero, o dia 31 de Outubro, pois Lutero afixou as 95 teses na porta igreja castelo em Wittenberg, Alemanha, a 31 de Outubro de 1517, e esta data é tão somente o ano Samhain Celta, e bem como o Winternights dos Odinistas, onde são celebrados as pessoas mais respeitosas que viveram e deram exemplo de suas vidas para as futuras gerações, e isto a igreja católica também preservou ao manter, apenas 2 dias depois o dia de finados é celebrado pelos católicos.

Por vezes, haverão os que lembraram – e corretíssimos estão nisto – das práticas abomináveis dos gregos, que nos tempos em que mais nada em comum possuíam com os Dórios – seus ancestrais – passaram a reger sua sociedade baseados na misoginia, pederastra e pedofilia. Contudo aos mesmos os pagãos propriamente ditos, podem salientar que todos os que não falavam grego e que não comungavam com estes pontos de vista eram chamados pelos gregos de “...POVOS BÁRBAROS...” e que a palavra “...BÁRBARO...” em grego significa “...KELTOI...”, ou seja o termo de origem para o povo “...CELTA...”, sem mencionar que os povos setentrionais, como é o caso dos islandeses e outros, possuíam o termo “...ERG...”, para definir os depravados, e não faziam concessões de misericórdia com os mesmos.

Assim sendo, os termos de aproximação levam claramente a um ponto inusitado até agora, que os politeístas reconstrucionistas propriamente ditos, encerram muito do que fazem e pensam em termos ligados ao que o Conservadorismo afirma, havendo em verdade apenas roupagens externas que possam causar choque entre o pensamento dos convervadores em geral com os mesmos, e que ambos são totalmente contrários ao processo de depravação moral ligados em grande escala a permissividade das políticas afirmativas e formas degeneradas de esquerda, que florescem e se multiplicam nesta decadente sociedade que combina o materialista com o edonista , e que ataca todos os que ousam se opor aos horrores que vem a nascer disto.

Um abraço a todos os conservadores.
Bolthorn leyndärmal er mit.
Frater Thul Alger.
Ordo Templi Orientis Mundi



Adendo de bibliografia Virtual:

Nenhum comentário:

Postar um comentário